A materia vegetal é produzida como um resultado do processo da fotossíntese, que graças à energia do sol pode transformar minerais simples em moléculas orgânicas complexas. A biomassa das plantas absorve o CO2 (dióxido de carbono ou dióxido de carbono) a partir da atmosfera durante o crescimento e retorna durante a combustão. O equilíbrio de CO2 destes processos é zero, e, por conseguência, não contribuem para o efeito estufa. Deve-se notar que a biomassa é definida como qualquer material que vem de matriz orgânica, por exemplo, aqueles dos resíduos orgânicos municipais. Por esta razão, prefere-se falar biomassa das plantas, limitando-se a origem do mesmo.

Os processos de transformação da energia possuída pela biomassa da planta podem ser agrupadas em três grupos principais que representam as conversões de tipo:

- termoquímico
- biológico
- físico
Biomassa - Sunteco Brasil

A conversão termoquímica da energia presente na biomassa das plantas podem ser obtidas por diferentes processos, tais como a combustão, pirólise, a gaseificação. A conversão biológica pode ser obtido por fermentação alcoólica e a digestão, enquanto que a adaptação física por compressão.

O processo de combustão é o mais tradicional, para ser eficiente requer uma redução do teor de água da biomassa, esta redução é tipicamente obtida através de secagem dos produtos ao sol. Em Itália, existem cerca de 40 grandes instalações para a produção de energia a partir da combustão de biomassa, sendo eles, em geral, de resíduos de processamento de madeira, para uma potência eléctrica total de cerca de 330 MW. Estas instalações são do tipo de co-geração, no sentido de que a energia final é determinada pelo calor e energia eléctrica. Parte do calor produzido é efetivamente usado para produzir o vapor que é usado para alimentar as turbinas ligadas a geradores eléctricos. A parte do calor residual pode ser usado para fins industriais ou residenciais. A eficiência destes sistemas é da ordem de 20-25%, de modo bastante modesto.
A pirólise é um processo para a conversão termoquímica de matéria orgânica, também conhecida como destilação seca, que baseia-se na transformação de biomassa pela ação do calor, com ausência de oxigênio. Na prática, a pirólise pode ser aplicada em qualquer material biológico, desde que o teor de água seja baixo (inferior a 15%). O material é levado a temperaturas entre 200 e 700° C, por vezes, entrando quantidade apropriada de oxigênio, que permite o início de uma combustão parcial que conduz a um aumento da temperatura.

A gaseificação é um processo físico-químico através do qual transforma-se um combustível sólido (madeira, biomassa de plantas em geral) em um combustível gasoso.

O processo consiste em uma oxidação incompleta de compostos carbonados trazidos a alta temperatura (cerca de 1000 ° C), na ausência de oxigênio. O gás obtido, chamado gás de síntese, pode ser usado diretamente para motores de combustão interna utilizados para a produção de eletricidade. O gás de síntese (syngas) é uma mistura de azoto, metano, hidrogênio, monóxido de carbono e outros gases. A conversão de energia por meio de processos bioquímicos da biomassa da planta pode ser dividido em dois processos:

- fermentação alcoólica,
- digestão anaeróbia.

A fermentação alcoólica é o processo de transformação bioquímica, por meio dos quais os açúcares são convertidos em álcool etílico.

A produção de etanol a partir de biomassa, a começar com um elevado teor de açúcar é totalmente testada, no Brasil, a fermentação de etanol de cana permite a obtenção de um custo competitivo em relação ao da gasolina.

Na Itália, foram feitas experiências com beterraba, com o processamento de custos não rentável.

A digestão anaeróbia é um processo de conversão operado por bactérias que, a partir da biomassa rica em celulose permite obter um biogás que contêm cerca de 65% de metano.

Este gás é utilizada para alimentar um motor de combustão interna, ligado a um gerador elétrico. A eletricidade produzida vem diretamente lançada na rede de distribuição e vendida a preço remunerativo (certificado verde) obtido a partir de uma fonte de energia renovável.

O resíduo resultante do processo pode ser utilizado como fertilizante. Estas instalações são muito comuns no norte da Europa. Para otimizar o rendimento do sistema é conveniente utilizar a energia térmica produzida (calor), visto que para cada kWh elétrico produzido, são gerados cerca de 1 kWh de energia térmica.

A conversão física é essencialmente um processo de prensagem mecânica das culturas com elevado teor de óleo (girassol, soja, colza etc). O resultado final da compressão è um óleo combustível e alguns painéis proteicos contendo uma percentagem mais elevada de óleo (máximo 10%) muito utilizada pela indústria de alimentação animal.

O óleo vegetal assim obtido, que é uma mistura de ésteres metílicos de ácidos graxos, podem ser usados ??diretamente como combustíveis para motores diesel ligeiramente modificados, ou pode sofrer um tratamento químico para torná-lo semelhante ao biodiesel.

Sunteco Brasil

A Sunteco Brasil

SUNTECO BRASIL tem seu foco de atuação na realização de instalações para a produção de energia.
  • Avenida Alameda do Ingá, 840 - Sala 509 - Edifício St. Hillaire - Vale do Sereno - Nova Lima - MG
  • Tel: +55 (31) 3234-4018
  • Email: comercial@suntecobrasil.com
 
 
 

Copyright © 2014 Coruscate. All right Reserved.

FOTOS FLICKR